A Chave do Mundo –Livro I: As Torres de Phart Halor

||
Saudações nobres,

As Torres de Phart Halor foi uma leitura rica. Dificilmente teria outra palavra que tão bem descreveria a obra de Lorde Zeca Machado.


Livro: A Chave do Mundo –Livro I: As Torres de Phart HalorAutor: Zeca MachadoEditora: Clube dos AutoresSinopse: Em um mundo distante, tudo corria bem na cidade de Cirrot, quando Ziloun, o sumo sacerdote do templo de Urttor, avistou ao longe uma sombra que começava a se formar.
Durante o inverno, após dez anos de casado, o mestre ferreiro Liohr e sua esposa, que viviam em um ponto afastado da cidade, acabaram de receber o maior dos tesouros em seu humilde lar: o nascimento de duas lindas meninas. A família não tinha o menor conhecimento dos acontecimentos até seguirem para a cidade, durante o equinócio da primavera para agradecer aos deuses o inestimável presente.Na cidade destruída, Liohr é alertado por seu maior amigo, que o exército negro seguindo uma profecia, procurava por uma criança recém nascida. Buscando segurança, Liohr decide fugir com sua família para terras distantes. Perseguidos pelos soldados, Liohr com uma de suas filhas se separa da esposa e do outro bebê.Salvos, viveram em uma vila élfica por dezessete anos, desconhecendo o paradeiro do restante da família.  O ferreiro sentia em seu coração que a esposa e a outra filha permaneciam vivas e, quando sonhos estranhos começam a povoar a mente da jovem Narhen, chamando-a por caminhos obscuros, pai e filha decidem partir a procura de respostas.




– Ela me mostrou nossos campos e campinas repletos de flores, nossos rebanhos pastando gordos e tranqüilos; nossas crianças correndo e rindo. Mas, lá no fundo, onde o céu se junta com a terra, a mancha negra de uma sombra começou a se formar, indicando o início de uma tempestade que poderá se tornar muito perigosa.


O primeiro ponto aqui é que deves estar disposto a ler todas as descrições presentes, não são extensas ou desnecessárias, a visão de todos os cenários é perfeita. Senti-me completamente ambientada, sem qualquer dificuldade em visualizar o que o autor gostaria de mostrar. 
Maior dificuldade: Tentar pronunciar os nomes. Lorde Zeca já fez piada sobre o caso, dizendo que no livro 2, a situação será agravada!
Não vos prenderei descrevendo o quão perfeitas ficaram as narrações dos cenários, desde as florestas élficas aos grandes desertos, das criaturas mágicas às que já estamos acostumados. Lorde Zeca traçou sua teia firmemente, sem pontas soltas.
Numa terra abençoada e há muito esquecida de guerras e desgraças vê ao longe a sombra de um grande mal se elevar. A salvação vem na forma de duas irmãs, gêmeas e nascidas num lar amoroso que muito as aguardava. Porém o mal que se levanta também detém conhecimento sobre a tal profecia e o destino das crianças.
Num emaranhado de acontecimentos e fugas, as duas são divididas. Narhen e o pai após muitos perigos acabam numa comunidade élfica, onde os treinamentos e costumes guerreiros não foram esquecidos. Já Ishiá e a mãe, correndo não menos perigo, chegam à outra comunidade élfica, essa envolvida nos mistérios da magia e da natureza.
As duas crianças passaram 17 anos nesses novos lares, aprendendo a ser como eles, aprendendo suas técnicas e suas crenças. Mesmo sem saber, estavam iniciando os treinamentos para enfrentar um mal ao qual igualmente desconheciam a existência.
É Ishiá que, com seu dom da visão, consegue se comunicar com a irmã. E assim a jornada de Narhen e Liohr inicia rumo ao encontro de sua irmã e mãe.
Para que a escuridão que avança seja detida, além das gêmeas, será preciso que os povos se unam novamente, elfos, anões, gnomos, ninfas. Nada além de cooperação e forças conjuntas serão capazes de afastar o grande mal que se anuncia.
Narhen é destemida, forte: uma guerreira. Ishiá é mais sensível, mais sensitiva (porém, não mesmo forte): uma sacerdotisa. Elas se completam harmoniosamente e os dons de ambas serão indispensáveis para a batalha que se desenha no horizonte. Muito embora ainda falte-lhes muito que aprender.
Os demais personagens apresentados na jornada serão de suma importância. Veremos finalmente um encontro entre elfos e anões, milhares de anos após as guerras que os separaram, nos depararemos com gnomos fascinados por pedras preciosas e que se comunicam com as árvores. Seremos testemunhas também da ganância e dos horrores das guerras, da exploração do mais fraco e do domínio do mal.
Como em muitos casos, esse primeiro volume só nos abre os olhos para os grandes acontecimentos futuros. Os perigos foram poucos e simples se comparados ao que ainda está por vir. Resta saber, se estarão preparados e acima de tudo se Nahren e Ishiá serão capazes de travar essa batalha.

A arte das capas é um caso à parte: fiquei encantada à primeira vista!



Lentamente abriu os olhos e a visão que teve a fez pensar que ainda sonhava com aquele lugar desolado.


Conheça a continuação de "A Chave dos Mundos"

A Chave dos Mundos - Em um inverno mais rigoroso que o normal, Asirl e Lihor tiveram duas filhas Ishiá e Narhen. Algum tempo depois do nascimento os pais levaram as crianças para a cidade de Cirròt para consagrá-las aos Deuses e apresentá-las aos amigos, porém, se viram perseguidos por um exército que procurava por todo e qualquer recém-nascido.Em fuga a família se dividiu, ficando cada um dos pais com uma filha. Após escaparem de seus captores, foram salvos e viveram isolados em cidades élficas sem nenhum conhecimento uns dos outros.Narhen cresceu em Larthimar e se tornou uma guerreira com qualidades inimagináveis para os padrões humanos.Ishiá tornou-se uma sacerdotisa em Phart Halor, a cidade esquecida.Ao completar dezessete anos Narhen passa a ter sonhos que levam a ela e seu pai a deixarem Larthimar em busca de respostas.No caminho Narhen descobre uma antiga profecia e recebe um cetro do povo anão. Ishiá encontra-se com um ser mitológico para o povo élfico e se torna sua amiga, além de se aperfeiçoar cada vez mais como sacerdotisa.Durante sua jornada, Narhen ajudada misticamente por sua recém descoberta irmã Ishiá, encontra novos grandes amigos: Zarthrus, um gnomo e Grendhel um humano que passa a segui-la e a ajudá-la. Passam por inúmeros perigos, formam grandes amigos e poderosos inimigos, nesse percurso.Depois de atravessarem por Farthorn uma floresta considerada pelos humanos como morada de seres malignos e de se defenderem de lobos negros ao mesmo tempo em que salvavam um lobo cinzento de uma morte certa, Narhen, Lihor e seus amigos finalmente chegam à cidade de Phart Halor onde a família se reencontrou.Contudo, somente a primeira parte de uma longa jornada chegou ao fim.Eles ainda precisam descobrir qual o significado do cetro e o que deverão fazer para colocar um fim definitivo nas lutas contra o exército negro e trazer a paz novamente ao seu mundo.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...