Perdida - Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo

||
Livro: Perdida - Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Avaliação: 9,5

O livro só não ganhou 10 na avaliação por causa da vergonha alheia que senti da Sofia por boa parte das coisas que ela fala. Minha vontade era tapar a boca dela e dizer: “Comporte-se, por favor!”. Confesso que eu conversei com ela em algumas passagens do livro.

Ao livro então:
...este livro em especial eu simplesmente não conseguia ler de outra forma que não fosse a tradicional. Ele tinha minhas páginas preferidas marcadas por orelhas e estava todo esfrangalhado por já tê-lo lido tantas vezes. Eu não sabia explicar por que gostava tanto daquele livro, mas era incrível poder me perder em séculos passados, costumes tão diferentes, roupas tão lindas, paisagens bucólicas e tranqüilas, o amor sendo posto à prova pela idéia retrograda de que pobres e ricos não se misturavam, o cavalheirismo, a delicadeza do primeiro amor... Glicose da boa!
Frase da querida Sofia logo no início do livro. Amor à primeira vista por ela. E essa descrição se encaixa bem no livro também, me fez facilmente voltar aos romances de época da biblioteca das moças, claro que menos puritano, mas ainda assim a sua essência era a mesma.
Outra característica da Sofia que me fez ficar acanhada, mas agora por mim e minhas atitudes foi a constatação que a modernidade não a fazia viver direito: computador, celular e até mesmo os livros digitais. Fiquei parada olhando fixamente para o livro e prometi que daria um jeito nesse aspecto, não quero me ver como a vi no primeiro momento, dependente e incapaz.
Sofia compra de um novo celular e tem algumas surpresas além da cor prateada e da aparência futurista do aparelho. Ele a leva para pleno século XIX, aquele mesmo em que estava acostumada a ver Elisabeth Bennet. Só que de mini saia, all star e camiseta. Mal consigo imaginar o que a maior parte da população da época diria sobre ela, se ainda pudessem a queimariam...
E eis então que nosso belo príncipe aparece e não exita em levar para a sua casa tão estranha senhorita, praticamente nua e com um belo corte na cabeça. Ian é sim o modelo idealizado de herói: lindo, apaixonante e claro, perfeito. A sua ingenuidade perante a Sofia é desconcertante e ao mesmo tempo cativante.
Elisa, irmã de Ian é a imagem da pureza. Sorridente e meiga, daquele tipo que você imagina ser impossível encontrar hoje em dia. Apesar disso, acredito que ela seja a mais astuta dentre os personagens.
Eu QUERO um Gomes e uma Madalena para mim! Não para serem exatamente “criados” mas pelo carinho que são capazes de inspirar.
E Nina... A melhor amiga das histórias, afinal para acreditar em alguém que diz que esteve em 1830, só amando muito!
O romance se desenvolve de forma harmoniosa e não menos divertida, dá prazer continuar lendo e sentindo aquele friozinho na barriga pelo que está por vir. Prepare-se para ter o coração apertado com os capítulos finais do livro, onde é feita a descoberta do sofrimento mais puro e sincero de amor. E então respire fundo e aliviada, tranqüila e feliz.
Fiquei esperando alguma vilã, uma concorrente que pretenderia roubar o coração do rapaz com unhas e dentes. Mas não a encontrei ai, a heroína faz às vezes de ser sua própria vilã.
Não consigo parar de rir das constatações da dificuldade de se viver em 1830. Acredito que os leitores terão pelo menos uma bela dose de risadas reservadas para as explicações.

Recomendo então para os ávidos leitores que se deleitam pelos mais inocentes (ou não tão inocentes) romances.
Especialmente para a Ana Luisa que com palavras tão doces me deixou imensamente feliz, e ainda mais empenhada nos melhoramentos do blog.
Fato que achei muitíssimo grato foi saber que a Carina Rissi é brasileira. Como alguém me disse outro dia: “Procuramos tanto por literatura estrangeira que não nos damos conta da que há por aqui.”
Em breve lerei o segundo livro da autora, e espero que seja tão bom quanto esse!
Página da Carina Rissi. Para quem leu esse livro recomendo expressamente que leia 


Acabei de colocar com todo carinho mais uma autora no meu coração.
Abaixo da imagem, SPOILER ALERT




SPOILER ALERT

Confesso que a minha parte preferida no livro é a volta da Sofia, quando ela se vê desesperada e incompleta. Eu me senti ali, ao lado dela enquanto examinava os quadros feitos pelo Ian, talvez tenha sido por isso que custei a manter meus olhos apenas úmidos e não verdadeiras corredeiras. A presença da Nina também foi importante, como disse acima, ela não duvidou da narrativa da Sofia e por si só foi um pilar de força para manter a amiga de pé.
Minha maior decepção: Sofia voltar sem all star!

6 comentários:

  1. Muito legal a crítica mas, passando pra dizer que tá faltando sangue nesse castelo muwahahahahaha. /táparei

    Que tal pegar a trilogia de Jogos Vorazes pra ler? Gostaria de ler a sua opinião a respeito dos livros. =3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar, assim que a loucura inicial passar eu lerei a trilogia de Jogos Vorazes, antes da estréia do filme!

      ♛ Queen Reader agradece a sua visita ao Castelo!

      Excluir
  2. Resenha perfeita, como o livro. Ri tanto lendo o livro, e agora fiquei com vontade de reler. Lembro exatamente de cada passagem. Eu concordo com a sua opinião, a respeito dos autores brasileiros, mas os livros de maior sucesso são mais caros que os estrangeiros. Não sei, acho que alguém tem que dar um jeito nisso, afinal acaba ficando menos acessível. Beeijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Bia!
      Estou esperando loucamente o lançamento do segundo livro de Perdida. Só por causa desse encanto da Carina.

      Sim! Vou toda empolgada para comprar os livros dos autores nacionais mas geralmente mudo de ideia por poder levar outros dois que eu também queria pelo mesmo preço de um... Realmente deveriam dar um jeito, porque depois não adianta dizer que os jovens não valorizam os novos talentos literários brasileiros. A culpa não é nossa!

      ♛ Queen Reader agradece a sua visita ao Castelo!

      Excluir
  3. SPOILER ALERT:
    Minha parte preferida também é quando a Sofia volta (sou meio malvada por gostar da parte que ela está sofrendo? Talvez)... E a minha maior decepção também é a falta do all star (nós tinhamos criado uma ligação na livraria...)
    naosepreocupecomisso.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente!
      O all star era um ponto importante
      Ainda não tive coragem de terminar a leitura de Encontrada, mas já sei também que teremos mais um livro da coleção <3

      ♛ A Rainha agradece a sua visita ao Castelo!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...